30 novembro 2016

Câmara aprova Estatuto da Segurança Privada com atribuição armada em Presídios, nas muralhas e guaritas




______________________________________________________________________________
    A nefasta ideia de privatização do sistema prisional nas estapafúrdias  facetas. O EUA resolveu abandonar a privatização em presídios federais, enquanto isso, no Brasil, discutem tão vivamente, talvez o documentário 13º Emenda[recomendo assistir] esclareça o quão empresas podem tornar lucrativo a mão de obra e repasses das parcerias. Mais espantoso é, raramente um profissional da área faz parte da discussão no legislativo, parece que a cartilha simplesmente está pronta basta seguir à risca.  Investimento e reconhecimento da profissão é a solução, como se não soubessem.
Marcelo A.
________________________________________________________________ 
    O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (29) a proposta conhecida como Estatuto da Segurança Privada (PL 4238/12, de autoria do Senado), que regulamenta a atuação das empresas de segurança privada e de transporte de valores e disciplina detalhes da segurança em bancos. Como a matéria foi modificada, ela retorna ao Senado para nova votação. Ainda não passa a valer, segue para apreciação do Senado.

    O substitutivo[projeto substituto com alterações] define quais são os serviços de segurança privada que podem ser assim considerados. Entre eles, a vigilância patrimonial; a segurança de eventos em espaços de uso comum; a segurança nos transportes coletivos, exceto aviação; a segurança em unidades de conservação; o monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança e de rastreamento; o transporte de valores; a escolta de transporte de bens; e a segurança do perímetro de muralhas e nas guaritas de presídios.


    Neste último caso, o serviço somente poderá ser realizado se a gestão do presídio tiver sido privatizada, mas esses seguranças não poderão realizar atividades carcerárias ou revista íntima, aplicar medidas disciplinares e de contenções de rebeliões; e outras atividades exclusivas de Estado.


PL 4238/12, prevê piso salarial inicial R$ 800 e final R$ 1.000

(...)
Art. 5º São considerados serviços de segurança privada, de caráter complementar em relação às competências dos órgãos de segurança pública:

 I - vigilância patrimonial;
II - segurança de eventos em espaços comunais, de uso comum do povo;
III - segurança nos transportes coletivos terrestres, aquaviários e marítimos;
IV - segurança perimetral nas muralhas e guaritas de estabelecimentos prisionais;

(...)




Fontes: Projeto 4238/12 http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1380182&filename=SBT+1+PL423812+%3D%3E+PL+4238/2012
Portal Câmara: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/520349-CAMARA-APROVA-PROJETO-DO-ESTATUTO-DA-SEGURANCA-PRIVADA.html


Adicione no Facebook: www.facebook.com/blogdosagentes


6 comentários:

  1. Nao da p acreditar q esses deputados perdem tempo discutindo leis desse tipo.
    Q vergonha meu.
    Q revolta ,nao sei ate qndo o brasileiro vai aguentar.

    ResponderExcluir
  2. Perdendo tempo, privatização e sinônimo de patrocínio eleitoral. Isso sim.

    ResponderExcluir
  3. Salário de mil reais? E mais facil nessa crise achar quem toma conta do barril de polvora por essa miséria do que valorizar os guardas e reajustar os salários que estao congelados desde Agosto de 2014. Quero ver manter a fuga zero com essa miséria!!

    ResponderExcluir
  4. cade o sindicato do aevps, porque eles não se mobilizam

    ResponderExcluir
  5. cada dia mais lixo terceirizado , Brasil país zero a esquerda! lixo!

    ResponderExcluir

Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas.